top of page

Banco Ativo de Germoplasma (BAG) conserva recursos genéticos da manga no ES

A iniciativa do Inovafruti coleta, preserva e documenta o material para continuar viabilizando o cultivo das espécies.


O projeto Inovafruti, parceria da Fundagres Inovar com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), instalou um Banco Ativo de Germoplasma (BAG) com variedades de mangas no Espírito Santo. A Agente de Extensão em Desenvolvimento Rural Arieli Altoé explica que esse banco é fundamental para impedir perdas de recursos genéticos e a extinção de espécies.


“As principais atividades de um Banco Ativo de Germoplasma são a coleta, preservação, caracterização, documentação, avaliação e intercâmbio dos materiais. O BAG tem a função de facilitar a organização e a distribuição de materiais genéticos para os melhoristas e instituições interessadas”, define a extensionista.

Imagem de um dos Bancos de Germoplasma do projeto


Inovafruti desenvolve culturas no estado


O Projeto incrementou em aproximadamente 45 hectares a área de plantio de maracujá no Norte do Estado durante os dois últimos anos (2021 e 2022), subsidiando 75 mil mudas de maracujá para agricultores familiares.


“O Projeto visa a melhorar a qualidade do maracujá por


meio do fornecimento de mudas de qualidade provenientes de sementes com certificação de origem; acompanhamento das lavouras implantadas por agentes de ATER e formação continuada para agricultores, suas organizações e empreendimentos quanto aos processos produtivos, boas práticas agrícolas, comercialização, agregação de valor e técnicas de pós-colheita”, relata Arieli.


O Inovafruti viabilizou a instalação de três unidades de referência em diferentes municípios do Espírito Santo com diferentes condições edafoclimáticas para análise de genótipos de maracujá, ou seja, as localidades diferem em características clima, relevo, litologia, temperatura, humidade do ar, radiação, tipo de solo, vento, composição atmosférica e/ou precipitação pluvial. O intuito é entender quais genótipos apresentam melhores características para consumo in natura ou para o processamento, e se adaptam melhor ao estado do Espírito Santo.




41 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page